Trago textos, dicas e questões para serem pensadas visando aplicar a psicanálise na sua forma mais simples ao dia-a-dia, buscando melhorar nossa qualidade de vida.

sexta-feira, 16 de julho de 2010

quinta-feira, 1 de julho de 2010


Visualização do perdão a si mesmo


Sente-se confortavelmente, feche os olhos e relaxe completamente. Inspire profundamente três vezes, expire lentamente, para sentir-se ainda mais relaxado. Com os olhos ainda fechados, levante-os levemente e visualize um lugar ao ar livre, que é seu lugar privativo especial. Observe como é esse lugar. É um dia claro e ensolarado de primavera ou verão; por isso, repare no céu azul, no verde vivo das árvores e da grama, e nas flores multicoloridas. Escute o canto dos pássaros e sinta o aroma do pinho ou das flores. Sinta a terra sob seus pés e a brisa gentil lhe acariciando o rosto.
Permaneça um minuto nesse lugar especial, sentindo-se sempre mais relaxado e em segurança. Repare então numa alameda que serpenteia entre as árvores. Siga essa alameda que o levará até as margens de um belo rio. Ouça o som calmante e refrescante da água fluindo. Em sua visualização, tire as roupas e caminhe para dentro do rio. Quando a água chegar aos seus joelhos, você compreenderá que este é um rio mágico e que a água está fluindo ao seu redor e através de você. Você sabe que é seguro mergulhar completamente nesse rio e deixar que tudo o que precisa ser perdoado seja gentilmente levado pela água.
Deite-se no rio, sentindo-se completamente seguro, e deixe que as águas purificadoras fluam sobre e através de você. Sinta todos os sentimentos de culpa, inadequação e raiva de si mesmo dissolverem-se e serem levados pela água. Eles estão segura e completamente lavados. Você sabe que está perdoado, e que agora pode prosseguir num novo e maravilhoso estágio da sua vida.
Você se levanta, deixa o rio e volta à margem. Onde você deixou suas roupas, vê um belíssimo roupão branco. Você o veste e caminha pela alameda de volta ao seu lugar especial. Ao chegar, vê que alguém deixou um lindo cobertor para você se sentar sobre ele. Você se senta e é tomado inteiramente por uma sensação de gratidão pela dádiva maravilhosa de absolvição que você recebeu.
Você ergue mentalmente os braços para o céu e diz, também mentalmente, “Muito obrigado, muito obrigado!” Então, quando estiver pronto, você volta lentamente à consciência normal e abre os olhos. Você ergue os braços para o céu e diz em voz alta: “Muito obrigado, muito obrigado.”
Sugiro que você faça essa visualização pelo menos uma vez por mês. Ele terá um efeito profundo na sua capacidade de perdoar a si mesmo e de manter uma atitude crescente de compaixão para com você mesmo.
Se alguns dos seus sentimentos de culpa se devem ao fato de você ter causado dor ou tristeza a outras pessoas, você pode suplementar esse trabalho de visualização ao decidir-se por um método de reparação. Muitas vezes não podemos fazer reparações diretamente às pessoas que magoamos, ou pelo fato de elas terem falecido, ou por não termos mais um relacionamento com elas, ou ainda porque essa reparação seria inadequada por algum motivo, então aproveite esse exercício para pedir perdão e sentir-se perdoado.